J Transcat Intervent.2019;27:e201815.

Implante transcateter de bioprótese valvar aórtica em pacientes ≥80 anos

Breno Abrahão Maués Soares, Fernanda Marinho Mangione, David Gabbay, Maria Fernanda Zulliani Mauro, Salvador André Bavaresco Cristóvão, Gustavo Alexandre Dutra, Júlio Flávio Meirelles Marchini, José Armando Mangione

DOI: 10.31160/JOTCI2019;27A201815

RESUMO

Introdução

O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto da idade ≥80 anos nos desfechos clínicos após o implante transcateter de bioprótese valvar aórtica, comparada a pacientes <80 anos.

Métodos

Estudo observacional, que avaliou 86 pacientes com estenose aórtica grave, submetidos ao implante transcateter de bioprótese valvar aórtica.

Resultados

Houve maior incidência de mortalidade total no grupo ≥80 anos (p=0,043), assim como no desfecho composto por mortalidade total, infarto não fatal e acidente vascular cerebral (p=0,02). Não houve diferença entre os grupos no sucesso do procedimento (90% vs. 95%; p=0,43), nos desfechos de segurança (34% vs. 21%; p=0,19) e na eficácia em 30 dias (30% vs. 14%; p=0,09), bem como na taxa de complicações vasculares (11% vs. 12%; p=0,97) e hemorrágicas (14% vs. 9%; p=0,55), e no tempo de internação (9 vs. 7 dias; p=0,31). Houve maior incidência de insuficiência renal no grupo ≥80 anos (18,4% vs. 2,4%; p=0,04). Após ajuste para fatores clínicos relevantes, a idade ≥80 anos deixou de ser preditor independente de mortalidade (p=0,06), porém manteve-se como preditor independente do desfecho composto (p=0,03).

Conclusão

Idade ≥80 anos, quando ajustada para fatores clínicos relevantes, não é um preditor independente de mortalidade após implante transcateter de bioprótese valvar aórtica, porém tem impacto negativo, com aumento da incidência de eventos cardiovasculares adversos e de insuficiência renal.

Implante transcateter de bioprótese valvar aórtica em pacientes ≥80 anos

Comentários